Search
Close this search box.

Serviço Altruísta aos Outros

Cartas aos Estudantes nº 3

É claro que você já tem estudado, em alguma medida, alguns dos Ensinamentos da Ordem Rosacruz, e quando eu me dirijo a você não é como se estivesse falando com um estranho que não estivesse familiarizado com os Ensinamentos ou, quem sabe, com alguém cético quanto à existência de tal Ordem. Esses Ensinamentos têm se espelhado muito rapidamente pelo mundo ocidental os últimos dois anos, o que demonstra um poder por detrás deles que não está relacionado ao ser humano comum. Isso, provavelmente, você perceberá melhor quando você tiver lido a lição desse mês, a qual trata dessa misteriosa Ordem e mostra a sua relação com a Fraternidade Rosacruz.

Alguma vez já ocorreu a você perguntar, meu querido amigo ou minha querida amiga, o que une você a essa Fraternidade Rosacruz? Você sabe que nela não há vínculos externos, que você não prestou juramento de fidelidade e que não lhe foram confiados quaisquer segredos. Então, o que constitui a Fraternidade Rosacruz que estamos falando?

Não podem ser os Ensinamentos Rosacruzes, pois eles estão abertos para todos e são aceitos por muitos, mesmo pelos que não solicitaram o seu registro como Estudante Rosacruz. Tão pouco é a inscrição como Estudante Rosacruz que faz criar o vínculo interno, porque são muitos os que estudam somente para seu próprio benefício e não cultivam a fraternidade para com os demais. Mais apropriadamente, é o serviço que executamos e pela caracterização por um estado mental intenso e sério com que praticamos os Ensinamentos Rosacruzes e tudo isso nos tornam, para o mundo, exemplos vivos desse amor fraternal, ao qual Cristo se referiu como sendo a realização de todos os mandamentos.

Na carta 2, tomamos como nosso lema o pensamento de que, se fosse realizada uma determinada tarefa que, aparentemente, não era atribuída a alguém em particular, diríamos a nós mesmos: “Por que não eu?”, em vez de deixar outra pessoa fazer tal tarefa ou deixar de fazê-la. Eu confio que você preste esse tipo de serviço altruísta (portanto desinteressadamente e o mais anônimo possível) com frequência, cimentando assim os laços de fraternidade.

Para a próxima carta, gostaria de pedir que vocês expressassem suas ideias e seus esforços para promover os Ensinamentos da Fraternidade Rosacruz. Não tente convencer ninguém contra a vontade dela ou fazer proselitismo, mas tente descobrir, com discrição, o que incomoda espiritualmente a pessoa. Tente ajudá-la com os nossos Ensinamentos Rosacruzes. Mas, se você quiser dizer algo sobre onde você os recebeu ou não, fica ao seu critério. O principal é disseminar os Ensinamentos Rosacruzes, não alardear ou fazer propaganda da Fraternidade Rosacruz.

Por Max Heindel – livro: Cartas aos Estudantes – nº 3

Compartilhe e ajude a chegar mais longe

Facebook
Telegram
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Search

Materiais de apoio